Brilhos Lunares
Entry: A Bruxa e o Meio-Ambiente Monday, January 30, 2006



Há uma piada engraçada nos meios wiccanianos. Uma bruxa diz para outra: ‘Por que é bom ter um namorado pagão?’ E a outra responde: ‘porque ele venera o chão onde você pisa’.

Literalmente cremos que o Corpo da Deusa que cultuamos seja a Terra em que pisamos, aliás, todo o Universo, mas nosso planeta especialmente, por ser a porção do Corpo Dela que nos é dado tocar, experimentar. Creio que todo mundo que deseja ser bruxa precisa entender que celebrar a Terra é também pensar sobre, e pensar com a própria Terra.

Pensar SOBRE a Terra em que vivemos e como anda nosso relacionamento com Ela. Será que eu, que celebro tantos esbats e sabats, faço direitinho meu exercício de meditação? Será que eu, que uso nos meus rituais uma série de cantos e danças que falam da Deusa, da Mãe-Terra, tenho me comportado como um filho consciente e adequado?

Pensar COM a Terra em que vivemos é descobrir suas vozes e matizes, se tornando um intérprete para realização do Doce Sonho da Terra.

Não basta ver a Terra, a Deusa, como algo exterior a nós. É preciso viver na pele as dores e os desejos da Mãe, a ponto de nunca mais me sentir alienado de processos destrutivos, de nunca mais chorar ao ver uma grande árvore cortada por caprichos ou a fome de um animal abandonado. A ponto de nunca mais ser ignorante, perpetuando o pensamento de que a Deusa precisa de rituais, mas sim, entendendo que para um pagão celebrar a natureza é preciso vivê-la, respirar com ela, participar dela e fazer, com seus próprios atos, o mundo girar.

Será que eu faço a minha parte?

Quantas vezes eu me preocupei em levar um pouco da visão pagã do mundo às pessoas que me cercam, à grande maioria não-pagã? Não, não estou incentivando o proselitismo. Pergunto se você ajuda as pessoas que o cercam, independentemente de crerem nesta ou naquela religião, a perceber a Magia da Vida em todos os acontecimentos naturais. Ver a resposta para suas dúvidas no vôo de uma borboleta
ou nas brumas, reconhecer as palavras da Mãe no barulho e no cheiro da Chuva, reconhecer o Pai em cada amanhecer.

Será que ao comer ou beber eu percebo o sacrilégio dos seres, vegetais ou animais, que morreram para que minha vida pudesse continuar? Eu evito usar produtos ou consumir coisas que poluam ou que sejam produzidas com crueldade animal ou destruição do meio?

Será que eu, professora primária, já expliquei aos meus alunos que: ao matarem as formigas eles estão matando um pouco de si mesmos? Que ao maltratarem um animal, maltratam sua própria alma? Será que alguma vez eu já tentei explicar para outras pessoas o conceito de responsabilidade que decorre da Grande Teia?

Será que, concretamente, eu, empresário, já me engajei em atividades de ecologia social, de valorização às pessoas e aos direito humanos em meu ambiente? Será que eu, advogado, já lutei sem honorários para uma entidade, sem fins lucrativos, que colabora para a melhoria do Corpo da Deusa? Será que eu, engenheiro, já estou a par de projetos de alternativas saudáveis para construção e habitação? Será que eu, dona de casa, já uso métodos de conservação e reciclagem e compreendo que o trabalho de um é o início do trabalho de muitos?

Será que eu, estudante, busco me aperfeiçoar em uma profissão ou carreira, que vise o bem estar das pessoas e da Terra? Será que eu, operário, já me apercebi do que é possível fazer em meu ambiente de trabalho para respeitar melhor a natureza? Será que eu, Mãe ou Pai, já me conscientizei sobre o mundo que nossos filhos herdarão e como é possível criar uma criança que não cometa os mesmo erros de insensibilidade de gerações anteriores?

São apenas questões para se refletir, hoje é mais uma oportunidade de mudar: a si mesmo, suas atitudes, nosso futuro. Hoje, vamos fazer algo por nós mesmos: vamos escutar as lágrimas da Deusa Antiga, bem como o seu riso, vamos nos irmanar, acendendo uma vela verde e, na luz de sua chama, iluminar nossas consciências,
descobrindo o que pode ser feito por nós aqui e agora.

Que nossos rituais, cada vez mais, se voltem para a realidade de uma vida de amor e respeito à Terra em que pisamos, Grande Deusa e Mãe de todos.

Bênçãos plenas de Gaia

Mavesper Cy Ceridwen

   2 comments

Art Of Love
April 4, 2006   12:18 AM PDT
 
meialua,
Cada vez me apercebo mais que esta terra onde vivemos é cada vez mais cruel.
Bjs.
Moon Priestess a.k.a. Aislin
January 30, 2006   11:57 AM PST
 
A cada dia que passa me apercebo mais dela...da Terra. Ad ontem tava o dia assim chuvoso e eu na varanda a olhar o campo...adoro vê-lo dp de chover...fica smp tão lindo...
Ai ai!!
Tss tss!!
Bejux

Leave a Comment:

Name


Homepage (optional)


Comments